Educação Financeira

Emoção e dinheiro

Há diversas formas de uma pessoa se relacionar com o dinheiro,
às vezes a relação que deveria ser benéfica e positiva, acaba gerando conflitos
.

Tratamos emoções como “energia em movimento” e dinheiro como “instrumento de troca entre pessoas”. Entendemos que onde há troca há movimento, portanto, onde há dinheiro há emoções. São as emoções que nos tornam humanos, nos diferenciam dos animais e nos mantêm vivos numa cadeia de relações com as pessoas, a natureza, o mundo e com o dinheiro. Com isso fica fácil entender porque o dinheiro desencadeia emoções, pois onde há dinheiro há energia. Porém, muitas vezes, por ignorância, falta de conhecimento ou até de sensibilidade, a energia do dinheiro funciona gerando conflitos e perdas.

Há economistas e empresários que sabem tudo sobre economia e finanças, mas na vida pessoal não sabem administrar seus recursos, são verdadeiros desastres. Outras pessoas leem livros e assistem inúmeras palestras sobre prosperidade e riqueza, mas não conseguem mudar de fato suas vidas. E é aí que está a questão. Não basta saber a teoria é preciso conhecer, entender e aplicar a interdependência entre emoções e dinheiro.

As atitudes mais comuns associadas ao dinheiro podem ser divididos em duas categorias: as primárias e as secundárias. Estes estilos de lidar com o dinheiro e com a própria vida tem raízes profundas e inconscientes. Vejamos, a seguir, como identificar cada um desses estilos.

Primárias ou principais :

Entesourador (o pão-duro) – Guarda (quase) todo o dinheiro que ganha. Tem a sensação de que se gastar aquele valor vai fazer falta no futuro, independentemente da quantia guardada. Não vive o presente, deixa tudo para um futuro sem data.
Gastador (o mão aberta) – Geralmente, vive intensamente o presente, compra (tudo) o que quer sem perspectiva de futuro. É aquele que promove trocas onde estiver, tendo ou não o que trocar.
Desligado do Dinheiro – Geralmente não tem grandes interesses pela própria vida terrena, acabam se desligando das questões práticas em função de uma crença ou estilo de vida. Sempre tem alguém que cuida das questões práticas para o desligado.
Escravo do Dinheiro – Trata o dinheiro como seu dono e senhor, a quem serve. Ou seja, transforma o dinheiro em fim, ao invés de um meio de troca, uma energia em movimento.
Quem tem raiva do dinheiro – Geralmente pessoas que se sentem pobres no meio de pessoas ricas, sem ter acesso à riqueza na quantidade que gostariam. Sentem-se merecedores da riqueza e como não conseguem poder sobre ela, desenvolvem raiva e até ódio de quem a possui.
Confuso entre Amor e Dinheiro – Geralmente são pessoas que acabam dando (tudo) que possuem, ou até o que não possuem para entes queridos, por não saberem distinguir entre o sentimento do AFETO e a energia do dinheiro. Todas as formas de amor envolvem relações com a energia do dinheiro: materno-filial, paterno-filial, fraternal, conjugal, entre amigos, entre sócios ou entre profissionais, clientes ou pacientes.
Tipos secundários:
Corrupto – Utilizam-se da boa-fé ou da ingenuidade dos outros para conseguir dinheiro.
Espertinho da “Lei de Gérson”- Querem tirar vantagem de tudo, deixando o outro em desvantagem.
Desconfiado do Dinheiro – Atuam automaticamente na emoção do medo, ficam paralisados e não se permitem agir. Se o assunto envolve dinheiro ou algum pagamento já acham que tem corrupção de alguma forma.
Devedor Compulsivo – É aquele que levou o GASTADOR COMPUSIVO a um grau doentio, não tendo mais recursos de pagar as dívidas, vai cada vez devendo mais, porque para saldar um compromisso faz outro empréstimo e assim sucessivamente, levando todos à sua volta junto com ele para o buraco (da dívida).
Se você se identificou com um dos tipos e quer modificar suas relações financeiras, é importante entrar em contato com o período em que montou sua primeira estratégia de vida, geralmente por volta dos 2 a 3 anos de idade, de forma inconsciente. Desatrelando a energia de AFETO das relações com DINHEIRO, você se sentirá com liberdade para tomar suas próprias decisões relacionadas a riqueza, poder e sexualidade. E deixando fluir as emoções de RAIVA e MEDO. A orientação de um profissional habilitado é fundamental para trazer à consciência processos inconscientes.
Glória Maria Garcia Pereira – Consultora de Riqueza, gloria.pereira@sinergianet.com.br

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *