Finanças Pessoais

O Dinheiro na Vida do Solteiro

O que você faz com o dinheiro é o que você faz com a sua vida!
Eu conheço três tipos de solteiros e solteiras:
Os que se sentem amados
Os que estão correndo atrás de serem amados
Os que desistiram de ser amados
Dinheiro e afeto estão intimamente relacionados. Por isso os solteiros do primeiro tipo tendem a levar uma vida financeira mais equilibrada. O importante é não confundir AMOR & DINHEIRO, porque ambos são pura energia de troca. Um Projeto de Vida Pessoal com Planejamento Mensal do orçamento abre espaço para compartilhar o tema dinheiro, não só no sentido dos gastos e contas a pagar, mas principalmente no sentido da realização dos sonhos pessoais.
Quem não sonha não tem motivo para viver!
Eu diria que, em princípio, os solteiros têm todas as condições ideais para se realizarem como PESSOAS, do ponto de vista afetivo, familiar, social, profissional, enfim, na sua totalidade. E todas estas realizações custam dinheiro.
Solteiros em geral estão em busca de outros solteiros com os quais possam compartilhar os sonhos futuros, caminharem na mesma direção, por um tempo pelo menos. Diferentemente dos casados, que de saída, juram ficarem juntos “até que a morte os separe”.

Os solteiros do segundo tipo correm o risco de se perderem na busca através do social, bares, festas, viagens, encontros e escolhas sem fim. Tudo isso custa muito dinheiro. Se você está nesta busca desenfreada por ser amado ou amada, proponho que inverta a direção da busca: comece a ir para dentro de você mesmo! Enfrente a questão da “solteirice”, abrindo espaço interno para momentos de “estar só” de verdade com você mesmo. Sei que vai dar medo, um frio na barriga… Mas o resultado é compensador. Experimente!
A carência afetiva é a responsável inconsciente pela compulsão de compras. Se você sente que compra coisas que nem quer e sabe que ao entrar em um shopping acaba comprando a prazo e criando dificuldades para pagar, respire fundo… Perceba que quando você sente vontade de namorar, trocar afeto e sai para o shopping ou lojas, o que você quer é uma troca de energia com qualidade interna. Qualquer compra é também uma troca de energia entre comprador e vendedor, porém sem a qualidade que você está procurando. Então, respirando, faça esta conversa interna e saia exercitando a paquera, a conversa, uma nova amizade ou o encontro com um velho amigo…separe conscientemente a compra do afeto que você procura. Não há nada de errado em comprar o que se quer, e muito menos ainda, nada de errado em buscar o afeto que precisa, que aliás é o grande motor que move as pessoas.
Os solteiros do terceiro tipo, pararam de sonhar com esta troca fascinante e complicada de amar e ser amado, que nada tem a ver com se casar… bem lá no fundo, pararam de acreditar no seu taco… Neste momento, as trocas de pura energia começam a ficar cada vez mais escassas. Geralmente, este solteiro torna-se uma pessoa fria de sentimentos, sem grandes interesses, e é a partir daí que começam alguns problemas de saúde, e/ou de dedicação exclusiva a parentes (por obrigação e não por prazer e amor). Os solteiros deste tipo geralmente direcionam grande parte do seu dinheiro para uma única finalidade na vida, pois não têm muito com quem trocar e geralmente pararam de sonhar. Se você entrou nesta, acorde, é tempo! Para o amor não há idade, quanto mais exercita, melhor fica. E o corpo, o coração, os sentimentos vão ficando cada vez mais afinados.
E então, em qual tipo você se encontra? Está feliz com ele? Senão, é uma boa oportunidade de refletir e mudar de tipo: solteiro com afeto e amor, com dinheiro para realização dos sonhos pessoais. Boa Sorte!
Fonte:
Glória Maria Garcia Pereira – Consultora de Riqueza, gloria.pereira@sinergianet.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *