Economia Doméstica,  Economize

Como comprei um apartamento mesmo endividada

Vim dividir com vocês a história de como comprei um apartamento mesmo endividada. Quando eu casei, morava sozinha em um imóvel dos meus pais, pois eles mudaram para outra cidade.
Minha mãe emprestou a casa para eu morar mesmo depois de casada. Fiz um pequeníssima reforma e após dois anos, ela pediu o imóvel para morar.
Nesta ocasião tudo o que eu tinha eram muitas dívidas e nenhuma reserva de grana.
Comecei a pensar em uma solução e pesquisar o preço dos apartamentos. Não foi difícil chegar à conclusão de que não tinha a menor possibilidade de compra. Conversando com algumas pessoas, conheci a possibilidade de comprar um imóvel através do leilão da Caixa Econômica Federal. Achei interessante e comecei a procurar apartamento no site da Caixa.
Os imóveis da Caixa geralmente têm o valor bem inferior, eu não tinha conhecimento de que estes imóveis eram de pessoas que não conseguiram manter o financiamento e tinham que devolver o imóvel, então comecei a me informar de todas as maneiras, muitos me disseram o quanto era arriscado comprar um apartamento por leilão, mas continuei me informando, e conheci alguém que havia comprado e obteve sucesso.
Para quem não sabe, os imóveis vendidos geralmente estão ocupados e por isto não há como conhecer (é uma compra no escuro) e também a responsabilidade de tirar quem está ocupando o imóvel é do novo comprador (e neste caso , eu).
Neste período fomos visitar um amigo, e meu marido adorou o apartamento dele, muito tranquilo, bem localizado e bem espaçoso.
Acredite se quiser, mas nas minhas buscas por imóveis que foram a leilão, encontrei um no condomínio deste meu amigo (o que ajudou muito, pois sabíamos o tamanho e tudo o mais). Hoje moramos no andar de cima!
Acho que este foi o período mais estressante da minha vida, nunca fiquei tão ansiosa, porque tinha muito medo de não conseguir tirar o antigo proprietário, algumas histórias são de muita dor de cabeça.
Mas… Voltando ao fato de que não tinha nenhum real…
Lembrei que eu tinha um carro, e fiz a opção de vender, fizemos um super rateio com FGTS , férias, 13º salário e economizamos o período de enrolação para liberação da Caixa (três meses) para dar a entrada. Conseguimos!
Compramos com uma diferença de 30% do valor do mercado na época (por ser leilão) e cinco meses depois,valorizou 100% (por causa do boom imobiliário).
Ah! Tem outro detalhe, geralmente estes imóveis tem processo na justiça (e por isto muitos conseguem ganhar e não saem) e é claro que comigo não foi diferente.
Eu acompanhei todo o processo pela internet, e quase enlouqueci uma amiga advogada com tantas perguntas, me informei tanto sobre o assunto que no final eu orientei o corretor da caixa como agir com seus clientes em casos como este.
Orientada por minha amiga (advogada), depois de registrar o imóvel no meu nome, encaminhei através do cartório a notificação de que o imóvel a partir daquela data estava em meu nome, e que as pessoas que moram nele, estavam de maneira ilegal, determinei uma data para que deixassem o imóvel e com a ressalva de deveria estar em perfeito estado.
Na data marcada, me foi entregue a chave em mãos com direito a mostrar as condições do apartamento e tudo (o que não é nada comum para quem compra nestas condições). É claro que aconteceram muitas coisinhas, mas não dá para relatar tudo.
Honestamente, nem sei como passei por tudo isto, mas valeu super a pena. O nosso AP é muito fofo, fizemos uma reforma básica e é lógico que por conta das malditas dívidas ainda faltam alguns detalhes, mas não tem problema não, estamos programando comprar outro daqui dois anos, para aproveitar a valorização.
Ai,ai, está vida é uma loucura!
Ah! Sabe quem pintou todas as paredes? Eu.
Um abraço e obrigada por acompanhar a minha história.
Até mais!
Obs.: Não quero deixar a imagem de que comprar imóvel por leilão é tranquilo e suave, ao contrário, é bem arriscado, é preciso muita informação e cuidado.

4 Comentários

  • Bruno Tanaka

    Olá Luciene, tudo bem? Se você tiver oportunidade de ir na Expo Money, estarei atendendo na clínica financeira e ministrando mini palestras sobre a importância do planejamento financeiro pessoal. Será um prazer recebê-la.
    Um abraço,
    Bruno Tanaka

  • Ção

    Olá Luciene

    Que bom, que no final deu tudo certo.
    Para investidores essa modalidade é muito lucrativa; mas prá gente que quer o nosso cantinho, o estresse é máximo.

    Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *