Educação Financeira Crianças

Crianças fazendo pedidos exagerados

Do programa CBN Dinheiro, com Mauro Halfeld (transcrição)- resposta de e-mail.

‘Minha filha tem 13 anos e está fazendo pedidos exagerados’
Sou profº de Educação física e trabalho como personal trainer, minha única filha tem 13 anos e está fazendo pedidos exagerados. Ontem ela me disse que precisava comprar um tênis de marca, um agasalho de uma grife americana e um famoso aparelho de som portátil. Juntando tudo isto eu teria que gastar R$ 1.500,00.
Fiz uma contra proposta, ofereci comprar um produto de cada vez, um por mês, ela não aceitou. Quer ganhar tudo para poder ir a uma festa da uma colega da escola no próximo sábado. E pior,ela disse que sabe que eu tenho dinheiro para  pagar, porque  ouviu minha mãe falando sobre a venda de uma casa que eu recebi de herança do meu pai já falecido.
Veja a que ponto chegou essa juventude. O que você me sugere?

Resposta: Eu entendo perfeitamente do que você está falando, concordo que é um exagero e que você não deve se render a este tipo de apelo. Sugiro que você explique para sua filha as dificuldades para ganhar e para juntar dinheiro.
Por exemplo: se o tênis desejado custa R$ 500,00 e se você ganha na média R$ 50,00 por aula, vai precisar lecionar 10 exaustivas aulas para ter este ganho, mas a realidade é ainda pior, você tem várias outras  despesas que precisam ser pagas com esta mesma renda.
Se você hoje consegue fazer sobrar, digamos, 20% da sua renda, após pagar todas as despesas fixas, significa então que você pode pensar em consumir apenas 20% desses R$ 50,00 por hora, ou seja, só pode gastar R$ 10,00 para cada hora trabalhada.
A conta vai ficar ainda mais impressionante, você vai precisar trabalhar então ( 500 dividido por 10 são 50 ) 50 horas para conseguir comprar o tênis. E uma conta semelhante deve ser feita para os  outros objetos de desejo.
Quanto ao dinheiro da casa que você herdou, explique para sua filha que ele é fruto de muito esforço do avô dela e que você tem o compromisso de reaplicar este capital em alguma coisa sólida que provavelmente  também chegará até ela numa futura herança. Trata-se de um patrimônio da família que não deve ser usado no consumo de itens de moda, que nada vão acrescentar para o futuro da sua filha.
Enfim, esta na hora de mostrar para sua filha que ela não está precisando de nenhum destes presentes, ela apenas está desejando estes produtos, que não são realmente necessários. Aproveite para mostrar para ela que uma grife, uma marca famosa ou um novo aparelho eletrônico não podem servir como um ingresso para um determinado grupo social, se este grupo de amigas deixar de gostar da sua filha porque ela não está usando essas marcas famosas, é melhor ela procurar outra turma.
Mauro Halfeld, para CBN.
Transcrição do programa da rádio CBN. Fonte: CBN – Mauro Falfeld

5 Comentários

  • Luciene

    Olá Marina,
    A mesada pode ser uma ótima maneira de ensinar o valor do dinheiro, desde que seja bem aplicada. Ela não pode ser apenas para os supérfluos (como acontece muitas vezes).
    Pais que conseguem ensinar seus filhos com mesadas, são vitoriosos, e farão filhos igualmente vitoriosos.
    Um Abraço!

  • Marina

    Instituir uma mesada também pode ser uma boa idéia, assim a filha da leitora terá de juntar o valor da mesada até ter a soma total para comprar as coisas que deseja, o que fará com que ela perceba o valor do dinheiro. Na verdade, ainda acho que a leitora foi boazinha demais propondo comprar um produto por mês! Muita gente falaria pra filha escolher um só desses 3 objetos e, mesmo assim, só se fosse anivesário ou coisa do tipo! Som, tênis caro, roupas cars, etc. não são necessidades, são desejos! Reserve as datas especiais para a compra desse tipo de presente (um só) e no mais tente por em prática a ideia da mesada!

  • Gaúcho Taura

    Bom Luciane. Vi depois da postagem que era um texto do Mauro.

    Mas, pensando bem, pensei em deixar assim mesmo, postado.

    E volte sempre pro meu sítio, pois, de vês em quando trago alguma coisa interessante, mesmo que este seja direcionado à gauchada (termos em gauchês….).

    Grande abraço

  • Luciene

    Olá Gaucho!
    Uau!! Que excelente a transformação que você fez na sua casa.O texto desta postagem não corresponde a minha filha. É um e-mail que Mauro Halfeld, respondeu no programa da CBN, resolvi postar, justamente porque achei que este pode ser um problema de muitos. Minha única filha tem apenas 1 ano, e quero sim, fazer como você (e tenho feito exatamente o que vc disse:lendo muitos livros e me informando).
    Na minha planilha também está reservado os gastos que tenho com ela.
    Também concordo com vc, quando diz que educação financeira pode (e deve) ser aprendida em casa.
    Obrigada por sua contribuição!
    Abraço!

  • Gaúcho Taura

    Sem a educação financeira no meu rancho (casa), gastei o valor de um carro 0 km na festa dela de 15 anos (em 2005).

    Com educação financeira, a minha segunda filha teve a sua festa de 15 anos….. quase toda paga por ela…. sugiro que leias: http://obolsodabombacha.blogspot.com.br/2012/08/atitude-65-uma-festa-de-15-anos-paga.html.

    Em primeiro lugar, para o teu problema, deves ler bastante sobre dinheiro, finanças. E repassar para a tua filha, com exemplos práticos.

    Hoje eu sei quanto "custa cada uma das minhas filhas mensalmente", pois cada uma tem uma planilha mensal.

    Sei que educação financeira ainda não se aprende na escola, mas podemos passar para os nossos filhos com as nossas atitudes…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *